14/06/1992 - Taça RBS - 1º jogo - Grêmio 2 x 0 Internacional

TAÇA RBS 1992 - 1º JOGO - GRÊMIO 2 X 0 INTERNACIONAL
Data: 14/06/1992
Local: Olímpico - Porto Alegre (RS)
Público: 12.810 pagantes.
Renda: Cr$ 58.220.000,00
Juiz: Olinto Preussler, auxiliado por José Carlos Oliveira e Valdir Cardia.
Cartões: Grotto, Wagner Fernandes, Lira, Jandir e Luciano Dias (G).
Expulsões: Célio Silva e Élson (I).
Gols: Jandir 23′/1 (G); Lira 32′/2 (G).
GRÊMIO: Émerson Ferreti; Grotto (Carlos Miguel), Wagner Fernandes, Luciano Dias e Lira; Jandir, Caçapa e Juninho; Alcindo, Marcos Severo (Carlinhos) e Caio. Técnico: Ernesto Guedes.
INTERNACIONAL: Gato Fernández; Célio Lino, Célio Silva, Pinga e Daniel Franco; Élson, Éverton Luís (Simão) e Marquinhos; Caíco, Gérson e Zinho (Sandro Becker). Técnico: Antônio Lopes.

Éverton Luís

Card elaborado por Sandro Gomes e Wander de Souza,
com foto ilustrativa restaurada por Gustavo Leal,
disponível na página Cards do Internacional.

ÉVERTON LUÍS
(meia)

Nome completo: Éverton Luís Fabro
Data de nascimento: 01/08/1972
Local: Machadinho (RS)

Carreira:
1992-1994 Internacional
1995 Londrina
1995-1996 Mogi Mirim
1996 Ypiranga-RS
1997 Mogi Mirim
1997-1998 Bahia
1999 Caxias
1999 Juventude
2001 Caxias

Éverton Luiz foi um meio-campista de intensa movimentação e habilidoso trato na bola. Começou nas categorias de base do Igrejinha-RS, de onde saiu para o Inter em 1992. Com o Inter foi campeão gaúcho em 1992 e 1994. Também era integrante do grupo campeão da Copa do Brasil 1992. Campeão do Torneio 25 Anos do Beira Rio, superando a Seleção da Nigéria e o Peñarol. Jogou os 90 minutos do Gre-Nal 324, quando o Inter goleou o Grêmio em pleno Estádio Olímpico por 4 a 1, em 17/12/1994.
Em 1995 foi contratado pelo Londrina. Em 1996 retornou ao futebol gaúcho contratado pelo Ypiranga de Erechim, onde formou boa parceria com Sandro Sotilli. Em 1997 foi para o futebol baiano, contratado pelo Bahia. Também atuou por Atlético Goianiense e Mogi Mirim-SP. Em 1999 retornou ao futebol gaúcho, contratado pelo Caxias. No mesmo ano foi para o arquirrival Juventude. Retornou ao Caxias, onde encerrou a carreira em 2001.
Em entrevista recente, Éverton Luís disse que considera Ênio Andrade e Tite, como os melhores técnicos que teve a orientá-lo. Destaca também os volantes Élson e Simão, ex-jogadores do Internacional, como grandes meio-campistas com quem atuou. Éverton Luís reside no município de Igrejinha-RS, onde recentemente foi dirigente e técnico do time do Esporte Clube Igrejinha.

Texto da página Cards do Internacional, de Sandro Gomes.

ESTATÍSTICAS DE ÉVERTON LUÍS PELO INTERNACIONAL
Estreia
14/06/1992 Taça RBS 1992 Grêmio 2 x 0 Internacional

Último jogo
17/12/1994 Campeonato Gaúcho 1994 - 2º turno Grêmio 1 x 4 Internacional

Jogos pelo Internacional
Competição J V E D Gols
Amistoso 4 3 1 0 3
Taça RBS 1992 3 0 2 1 0
Campeonato Gaúcho 1992 7 4 2 1 0
Campeonato Gaúcho 1993 4 4 0 0 2
Campeonato Brasileiro 1993 6 2 2 2 0
Torneio 25 Anos do Beira-Rio 1 1 0 0 0
Campeonato Gaúcho 1994 12 9 2 1 1
Copa do Brasil 1994 2 1 0 1 0
Campeonato Brasileiro 1994 5 2 2 1 0
Total 44 26 11 7 6

Paulo Henrique

Card elaborado por Sandro Gomes e Wander de Souza,
disponível na página Cards do Internacional.

PAULO HENRIQUE
(atacante)

Nome completo: Paulo Henrique Miranda
Data de nascimento: 21/02/1972
Local: Cruz Alta (RS)

Carreira:
1990-1992 Internacional
1992 Lajeadense
1993 Taquariense
1994 Estudiantes Tecos-MEX
1995 Internacional
1996 Brasil-FA
1996 Criciúma
1997 Grêmio
1997 Sport
1998 Atlético-PR
1999 JEF United-JAP
1999 Vegalta Sendai
1999 Guarani
2000 Anápolis
2000 Sampaio Corrêa
2001 Olaria
2002 Caxias
2003 Defensor-URU
2004 Atlético Hulia-COL
2005 Brujas-CRC
2006 Eastern-HKG
2007 Fourway Rangers-HKG
2007 Veranópolis
2008-2010 Dreams Metro Gallery-HKG
2011 Inter-SM

ESTATÍSTICAS DE PAULO HENRIQUE PELO INTERNACIONAL
Estreia
26/09/1990 Amistoso Taquariense 1 x 8 Internacional

Último jogo
29/11/1995Campeonato Brasileiro 1995 - 2º turnoInternacional 2 x 0 Cruzeiro

Jogos pelo Internacional
Competição J V E D G
Amistoso 5 4 1 0 0
Campeonato Gaúcho 1995 23 11 6 6 3
Copa do Brasil 1995 3 2 0 1 0
Campeonato Brasileiro 1995 2 1 0 1 0
Total 28 14 6 8 3

26/09/1990 - Amistoso - Taquariense 1 x 8 Internacional

AMISTOSO - TAQUARIENSE 1 X 8 INTERNACIONAL
Data: 26/09/1990
Local: Marques da Cunha - Taquari (RS)
Juiz: Antônio Howes, auxiliado por Vicente Porto Dias e Luiz Pivato.
Cartões: Édio (T); Eliseu (I).
Gols: Nílson Aragão 4’/1 (I); Cupim 22’/1 (T); Nílson Aragão 32’/1 (I); Nílson Aragão 11’/2 (I); Nílson Aragão 17’/2 (I); Nílson Aragão 28’/2 (I); Nílson Aragão 32’/2 (I); Nílson Aragão 43’/2 (I); Nílson Aragão 45’/2 (I).
TAQUARIENSE: Dílson; Betinho, Betão (Bugre), Paulo Roberto e Édio (Nena); Alemão, Quidãozinho (Mandala) e Ninho; Sandro Cabeludo (Carlinhos), Cupim e Júlio (Juarez). Técnico: Danilo Rosa.
INTERNACIONAL: Ademir Maria (César Silva); Célio Lino, Cassus, Zabala e Daniel Franco; Júlio Duarte (Hílton Gerônimo), Marcelo Prates (Paulo Henrique) e Eliseu (Fraga); Alex Rossi (Moreno), Nílson Aragão e Pedro Paulo. Técnico: Orlando Bianchini.

Colaboração de João Lopes, do Súmulas Tchê.

Temporada 1909

O ano de 1909 abriu o caminho da trajetória do Sport Club Internacional no decorrer da história do jovem futebol brasileiro. Quando aqueles jovens garotos decidiram fundar uma nova agremiação, talvez jamais imaginassem o tamanho de sua contribuição para a progressão da sociedade porto-alegrense e do desporto mundial quase 100 anos depois. Nascia o clube do povo, que abraçou os desprivilegiados, os estudantes, os comerciantes, as moças, e aqueles que acreditavam que o pavilhão vermelho e branco faria a história que acabou fazendo.
Em sua primeira temporada, alguns castigos. Os jovens pioneiros pagariam pela sua audácia ao fazer frente com equipes consolidadas no cenário esportivo da capital, porém, sem desacreditar que, acima de tudo, a bandeira do esporte bretão deveria ser levada em primeiro lugar, para que se pudesse evoluir e abrir caminho para outras agremiações além da elite da nossa sociedade. Começou assim a história do glorioso Sport Club Internacional.

PARTIDAS DISPUTADAS NA TEMPORADA 1909
Data
Competição
Resultado
18/07/1909
Amistoso
Grêmio 10 x 0 Internacional
07/09/1909
Amistoso
Militar 0 x 0 Internacional
10/10/1909
Amistoso
Militar 1 x 2 Internacional
15/11/1909
Amistoso
Militar 1 x 0 Internacional

JOGADORES COLORADOS NA TEMPORADA 1909
Jogador Posição Nome completo Jogos Gols Cartões Expulsões
Agostinho Meia Agostinho Silva 2 0 - -
Ballvé Goleiro Miguel Ballvé 3 -3 - -
Benjamin Vignoles Atacante Benjamin Constant Idiart Vignoles 4 1 - -
Carlos Kluwe Meia Carlos Antônio Malater Kluwe 3 0 - -
Cezar Atacante Jouvenalino Cezar 1 0 - -
Dornelles Meia Argemiro Dornelles 1 0 - -
Ernani Atacante Ernani B. de Oliveira 1 0 - -
Horácio Carvalho Atacante Horácio de Souza Carvalho 4 0 - -
Joaquim Carvalho Atacante Joaquim de Souza Carvalho 4 0 - -
José Poppe Defensor, Atacante José Eduardo Poppe Leão 3 0 - -
Luiz Poppe Goleiro, Atacante Luiz Madeira Poppe 4 -10 - -
Mendonça Atacante Edelberto Mendonça 4 0 - -
Pires Meia Vicente Pires 3 0 - -
Portella Defensor Luiz Gabriel Portella 3 0 - -
Simoni Defensor   1 0 - -
Wetternick Meia Alfredo Wetternick 3 0 - -

ARTILHEIROS NA TEMPORADA 1909
JogadorGols
Benjamin Vignoles
2

Fontes: Jornal a Federação, Correio do Povo, fóruns, comunidades e grupos dedicados à pesquisa da história do Sport Club Internacional, pesquisas feitas por José Luiz Tavares Maciel e Alessandro Moraes (in memorian).

18/07/1909 - Amistoso - Grêmio 10 x 0 Internacional

AMISTOSO - GRÊMIO 10 X 0 INTERNACIONAL
Data: 18/07/1909
Local: Baixada - Porto Alegre (RS)
Juiz: Waldemar Bromberg, auxiliado por João de Castro e Silva e Henrique Sommer; Theobaldo Foernges e Theodoro Bugs foram os fiscais de gol.
Gols: Booth [5], Grünewald [4] e Carlos Moreira (G).
GRÊMIO: Kallfelz; Deppermann e Becker; Carls, Black e Carlos Mostardeiro; Brochado, Grünewald, Carlos Moreira, Booth e Schroeder.
INTERNACIONAL: Luiz Poppe; Portella e Simoni; Benjamin Vignoles, Pires e Wetternick; José Poppe, Horácio Carvalho, Cezar, Mendonça e Joaquim Carvalho.
Obs.: houve uma supremacia do Grêmio e uma total falta de experiência do Inter. O Grêmio, possuindo jogadores famosos, alguns vindos da Europa, como Black e Booth, não teve dificuldade. Já o Inter tinha jogadores muito jovens. Foi uma temeridade o desafio feito pelo Internacional ao veterano Grêmio. Valeu como uma lição e também como um incentivo para um melhor preparo. Na época, a diretoria do Grêmio, reconhecendo a sua supremacia, propunha que a partida fosse realizada entre o 2º quadro do Grêmio e o 1º colorado, a proposta que não foi aceita. Aqueles jovens iniciados preferiam perder, mas iniciar a sua trajetória jogando com os melhores. Era o início de uma caminhada e a terrível derrota deveria se transformar em incentivos para futuros vitórias. E assim foi feito. Booth foi o primeiro jogador a tocar na bola na história ds Grenais, e também foi o primeiro a marcar um gol. Partida com dois tempos de 40 minutos e as goleiras não possuíam redes. Não havia técnicos, times eram comandados pelos seus capitães.