Branco


BRANCO
(lateral-esquerdo)



Branco começou no mundo do futebol pelo Guarany, de Bagé, seu primeiro clube de juventude. Não demorou muito para que o Internacional mostrasse interesse e trouxesse o lateral, habilidoso e de forte chute com a esquerda.


O lateral-esquerdo chegou em 1980 e ficou até 1981. Sem espaço, rumou ao Fluminense. Pelo tricolor carioca, jogou entre 81 e 86, faturando o tricampeonato carioca de 83,84 e 85, e o Brasileirão de 1984.

Em 1986, Telê Santana convocou o lateral para o Mundial do México, onde o Brasil foi eliminado nas quartas-de-final pela França. No mesmo ano, foi para o Brescia, da Itália, onde jogou duas temporadas.

Da Itália, rumou a Portugal, para jogar pelo Porto. Pelo clube português, conquistou o Campeonato e a Supertaça de Portugual, na temporada 89/90. Disputou a Copa do Mundo de 1990. Na ocasião, o Brasil foi eliminado impiedosamente pela Argentina, nas oitavas-de-final. Branco ficou marcado pelo episódio da "água batizada".

Em 91, Branco foi para o Genoa, da Itália. Permaneceu lá até 1993, quando retornou ao Brasil para defender o Grêmio. No tricolor, conquistou o Gauchão jogando ao lado de Dener e Luís Carlos Winck.

No ano seguinte, retornou ao Fluminense. Mas seu grande momento foi a conquista da Copa do Mundo nos Estados Unidos. Branco marcou o gol da classificação diante da Holanda, pelas quartas-de-final, na vitória de 3 a 2 em um jogo dramático.

Jogou o segundo semestre pelo Corinthians, onde foi vice-campeão brasileiro, perdendo a decisão para o Palmeiras. Em 1995, se transferiu para o Flamengo, no ano de seu centenário, terminando o campeonato carioca perdendo o título para o Fluminense.

Rescindiu amigavelmente com o Flamengo e veio para o Internacional para a disputa do Brasileirão. Fez boas partidas, mas era evidente que estava fora de forma. Em sua primeira partida no retorno, foi expulso.

Mas a partida emblemática foi diante da Portuguesa, quando cometeu o pênalti que tirou do Internacional a chance de disputar as semifinais do Brasileirão. Outra expulsão diante do Bragantino, no segundo turno, fez com que Branco não jogasse mais pelo Colorado. Se despediu no final do ano.

Depois do Inter, jogou no Middlesbrough, New Yok Metrostars e retornou ao Fluminense, para encerrar a carreira.