Nélson Bertolazzi

NÉLSON BERTOLAZZI
(atacante)

Nome completo: Nélson Antônio Bertolazzi
Data de nascimento: 16/6/1966
Local: Ribeirão Preto (SP)

CARREIRA:
1986 - Botafogo-SP
1986-1989 - Boavista-POR
1989-1990 - Internacional
1991-1992 - Boavista-POR
1992 - Botafogo-SP
1992-1994 - Boavista-POR
1994-1995 - União Leiria-POR
1996 - Boavista-POR
1996 - Rio Branco-SP
1996 - Portuguesa
1997 - Bragantino
1997-1998 - Inter de Limeira
1998 - América-SP
1999 - Paysandu
2000 - Anápolis

Alguns jogadores começam bem a carreira, vão para o exterior e voltam com o futebol em baixa para o Brasil. Esse é um caso muito comum no Brasil e Nélson Bertolazzi é uma prova viva que passou pelo Beira-Rio.
Irmão de Paulo Egídio, ponta que fez sucesso no Grêmio, Nélson começou a carreira no Botafogo-SP em 1986,jogando ao lado de grandes nomes do futebol brasileiro, como Mário Sérgio, Gasperín e Raí. O atacante tinha como característica a velocidade, boa técnica e chute certeiro.
Chamou a atenção dos portugueses do Boavista e partiu para Portugal ainda em 1986. Em sua primeira passagem pelo clube português, não convenceu. Acabou emprestado ao Guarani em 87 e ao Internacional em 89.
Em Porto Alegre, a fase de Nélson não foi das melhores. Futebol em baixa e poucos gols não justificaram a boa fama que adquiriu quando atuava na base do Botafogo-SP. Outro fator que influenciou o desempenho do atacante foi a debandada de metade do elenco que terminou a Libertadores na semifinal, após a eliminação diante do Olimpia. Marcou três gols em clássicos Gre-Nal. Deixou o Inter na metade de 1990, depois de fracassar no Gauchão.
A volta de Nélson em Portugal teve um êxito maior, conquistando a Supertaça Cândido de Oliveira em 1992 e ganhando a confiança da torcida de Aveiro. Entretanto, atrasos em retornos de viagem ao Brasil comprometeram a confiança dos dirigentes do Boavista, atrapalhando sua adaptaçao.
Depois de retornar de um empréstimo ao União Leiria, em 1994, Nélson deixou o Boavista em 1996, retornando ao Brasil para defender o Rio Branco-SP. Depois de um bom Paulistão, a Portuguesa tratou de levar o jogador ao Canindé para a disputa do Brasileirão. Na reserva, o atacante viu sua Lusa perder a decisão para o Grêmio.
Passou por Inter de Limeira, Bragantino, Paysandu e Anápolis-GO, onde encerrou a carreira. Atualmente, administra um posto de combustível em Guatapará, interior de São Paulo.

Navegantes 0 x 7 Internacional (Amistoso 1967)

Visitando algumas páginas com a finalidade de pesquisar jogos antigos, encontrei dados de um amistoso do Internacional em um blog administrado pelo gremista Ricardo Wortmann.

Em 1967, o Major Nelson Wortmann, personalidade muito conceituada no município de Jaguarão, foi atrás de um adversário para o Navegantes inaugurar o novo estádio da cidade. Amigo de Pinheiro Borda e de Ildo Meneghetti, Wortmann convocou o Sport Club Internacional para as festividades.

Num tempo em que não se poupava jogadores nem em partidas amistosas, o Inter levou os titulares para a disputa da partida. A zona sul do estado entrou em polvorosa ao ver o escrete colorado desfilando no gramado do recém-fundado Estádio Claudino de Almeida Neves.

O Inter entrou em campo com: Gainete, Laurício, Pontes, Scala, Sadi; Élton, Marino; Bráulio, Claudiomiro, Lambari e Dorinho. A partida terminou com um acachapante 7 a 0 para os vermelhos.

Mas o que importava era a alegria do povo jaguarense e a estreia de seu coliseu naquele 7 de maio de 1967, orgulho da cidade desde o final dos anos 60. Hoje em dia, a cancha abriga jogos da várzea local.

Fonte:

Laurício

LAURÍCIO
(lateral-direito)

Nome completo: Laurício Apolônio Pinto Brandão
Data de nascimento: 9/2/1943

CARREIRA:
1962-1966 - Fluminense
1966-1970 - Internacional
1971-1972 - Londrina

Os anos 60 foram complicados para o Internacional. Enquanto as atenções estavam voltadas à contrução do Gigante da Beira-Rio, o Inter assistia o Grêmio passear dentro de campo.

Com um time instável e repleto de jovens da base, o Internacional ia constantemente em busca de reforços para tentar quebrar a supremacia tricolor. E em 1966, Laurício veio à Porto Alegre vestir a camisa vermelha.

Laurício iniciou a carreira no Fluminense em 1962, sendo campeão estadual no mesmo ano. Lateral-direito de características defensivas, pouco subia ao ataque, completando uma linha de quatro zagueiros. Foi titular do Internacional nos anos de 1966 a 1968.

Disputou partidas memoráveis com o Inter durante o período em que esteve em Porto Alegre, incluindo os festejos de inauguração do Beira-Rio. Porém, com a chegada do treinador Oswaldo Rolla, ex-ídolo gremista, perdeu a titularidade na posição para Edson Madureira.

Laurício era acusado por dirigentes de "tremer" nos clássicos, especialmente quando era confrontado pelo excepcional ponta gremista Volmir. Ainda assim, o lateral disputou 12 Gre-Nais, saindo vitorioso em quatro ocasiões, perdendo duas e empatando as outras seis.

Deixou o Inter no final de 1970 depois de faturar dois títulos estaduais, em 69 e 70, e partiu para Londrina. No clube do interior paranaense, Laurício atuou ao lado dos ex-colorados Walmir Louruz e Canhoto.

Em 1972, o Londrina terminou o Campeonato Paranaense na 4ª colocação, atrás de Coritiba, Atlético e Colorado (um dos times que originou o Paraná Clube). Sendo assim, o Londrina ficou com o título de campeão do interior.